Dicas de saúde para equinos

A saúde dos equinos depende, principalmente, de três fatores para se manter equilibrada: vacinação e vermifugação corretas, além de uma e alimentação regrada e adequada ao tamanho do  animal.

 

VACINAÇÃO: São indicadas vacinas contra tétano, rinopneumonite, encefalomielite, leptospirose, raiva e influenza.

Os animais podem ser vacinados a partir dos três meses de idade e é imprescindível que seja realizada a revacinação 30 dias após a primovacinação (três doses com intervalos de 30 dias para potros e uma dose com intervalo de 30 dias para adultos), com reforços semestrais ou anuais.

A vacinação deve ser realizada sempre por um médico-veterinário, o único profissional capacitado para selecionar as vacinas adequadas e aplicá-las no momento ideal, de forma segura.

 

VERMIFUGAÇÃO: A vermifugação de potros deve ser iniciada aos 60 dias e repetida a cada dois ou três meses. Para esses casos, recomenda-se a mudança de base a cada três ou quatro aplicações, em uma rotação média, para evitar o surgimento de resistência por parte dos parasitas. 

Para animais adultos, recomenda-se a repetição das doses entre três e quatro meses. 

A realização de um exame parasitológico de fezes indicará se a base utilizada está sendo eficiente e qual o nível de infestação que indicará a necessidade de alterar esse calendário profilático. 

A vermifugação deve ser realizada sempre por um médico-veterinário, profissional capacitado para selecionar a base adequada do vermífugo e ministrá-lo de forma segura.

 

ALIMENTAÇÃO: 

Mesmo sendo animais herbívoros, após a domesticação, os cavalos passaram a se alimentar também de concentrados ou rações e esse tipo de alimentação requer alguns cuidados:

  • Um animal deve receber, no máximo, 0,2 a 0,4% de seu peso vivo de ração, nunca deve ser ultrapassada a quantidade de 2,5KG de ração por refeição;
  • A alimentação deve sempre iniciar com alimento volumoso (pasto verde ou feno), o qual é seguido pela oferta de  concentrado, de forma intercalada.
  • Os cavalos devem ser alimentados, no mínimo,  três vezes ao dia, tendo acesso permanente à água potável, para evitar o risco de cólicas, enfermidade que afeta grande parte do plantel equino.